CONFRARIA DOS RIO-GRANDINOS

A Confraria dos Rio-grandinos, criada em 25/06/09, é um blog de divulgação e reflexão sobre a história, a cultura e o patrimônio da cidade do Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. Este é também um veículo de divulgação dos Papareias (naturais da cidade do Rio Grande/RS) que se destacaram ou que se destacam no cenário nacional e internacional. As imagens e os textos apresentados na sua maioria são do autor do blog e destinam-se a ilustrar idéias e valores estéticos e artísticos. Para efeitos de direitos de autoria nas postagens são sempre mencionadas as fontes. Se alguém conhecer algum impedimento à divulgação de alguma imagem ou texto agradeço que contate comigo, por e-mail, a fim de que possa proceder à sua supressão. Todas as postagens constantes neste Blog são de domínio público e podem ser copiadas sob a autorização do seu Criador. Seja mais um Confrade tornando-se Seguidor desta Confraria.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A Primeira Médica Brasileira e Primeira Vereadora do Rio Grande do Sul

Rita Lobato Velho Lopes, nasceu em 07/06/1866 em São Pedro do Rio Grande, hoje Cidade do Rio Grande/RS,  foi médica, feminista e política brasileira.   Foi a primeira brasileira a obter um diploma regular de medicina e a segunda na América Latina a formar-se em medicina.     Esta gaúcha só pôde iniciar seus estudos após um decreto-lei nº 7247, de 19 de abril  de 1879  rubricado por D. Pedro II, terminando com a  discriminação da época.    Foi em 1884 no Rio de Janeiro, em um lugar separado na sala de aula , que  ela frequentou o primeiro ano de faculdade.  Depois seguiu para a famosa Faculdade de Medicina da Bahia, em Salvador, onde foi a única a concluir o curso  em 11 de Dezembro de 1887.  Com a tese “Paralelo Entre os Métodos Preconizados a Operação Cesariana” tornou-se especialista em ginecologia e pediatria.    Em Dezembro de 1887 retornou para o Rio Grande do Sul.     Em 1889  casou-se com seu namorado de infância, comerciante em Rio Pardo onde passou a clinicar em casa e nos arredores da cidade, atendendo à população mais carente, assim como no hospital onde sofria muita discriminação por parte dos outros médicos homens.    Em abril de  1910, cansada da vida rotineira, Rita foi estudar e atualizar-se na Argentina.  Permaneceu cinco meses residindo  em Buenos Aires onde assistiu a conferências médicas, frequentou cursos e fez estágios em hospitais.    Clinicou de 1910 a 1925 na cidade do Porto Alegre.  Com a abertura dos votos para as mulheres, ingressou na carreira política, tornando-se em 1934 vereadora pela  cidade do Rio Pardo/RS e a primeira vereadora do estado do Rio Grande do Sul.   Seu mandato durou até 1937, quando foi cassada pelo Estado Novo de Getúlio Vargas.   Atuou também como médica na cidade gaúcha de  Jaguarão/RS.   No ano de 1950, com 84 anos, recebeu inúmeras homenagens realizadas por seus admiradores. Apesar da idade avançada compareceu às solenidades sensibilizada.   A nobre gaúcha, que honrou o compromisso de ser médica, morreu em 6 de janeiro de 1954, na cidade de Porto Alegre, entrando para a história como a primeira médica diplomada e profissional no Brasil.
Fontes:  Netsaber Biografias; Sociedade Brasileira de História da Medicina; Poderosamente Mulher, Elson Sepulveda, Nádia Raupp Meucci e Flâneur Espaço Arte Foto

Um comentário:

silmara disse...

poxa e nos que achamos que as coisas sao dificeis. Que exemplo de determinacao. muito bom ter lido esta estoria.